Você está aqui: Início » Pesquisa » Linha de Pesquisa: Silvya Stuchi Maria-Engler - "Peles Artificiais: plataforma para testes de novos compostos farmacológicos e cosméticos" » Projeto: Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA Desenvolvimento de plataforma de epiderme equivalente para avaliação de segurança e eficácia pré-clínica

Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA Desenvolvimento de plataforma de epiderme equivalente para avaliação de segurança e eficácia pré-clínica

Coordenador(es): - Silvya Stuchi Maria-Engler
Participante(s):
Ao contrário da forte tendência mundial para o desenvolvimento de testes in vitro que supram o uso de animais em ensaios de avaliação de segurança esta prática ainda é inexistente no Brasil. Apesar disso, essa prática deverá ser implementada rapidamente em nosso país para que atenda aos conceitos humanitários internacionais agregando valor ao produto de exportação das indústrias cosmética e farmacêutica brasileiras. Para tanto, faz-se necessária uma sistematização metodológica visando gerar uma plataforma de testes em epiderme equivalente, que validada, atenda as demandas das indústrias cosméticas e farmacêuticas, entre outras. A Diretiva Européia de 1986 induziu a discussão mundial de redução de testes em animais e a 7ª emenda desta Diretiva, publicada em 2004, determinou a transferência dos ensaios para a avaliação do risco para sistemas in vitro, e indo além, investiu em tecnologias alternativas. Diferentes abordagens foram desenvolvidas para suprir essa necessidade como, por exemplo, a geração de equivalentes de epiderme, sendo considerada a mais promissora e extensamente investigada. Dois equivalentes de epiderme (EpiDerm -MATTEK and EPISKINTM LÓREAL) comercialmente disponíveis foram validados pelo ECVAM (European Centre for the Validation of Alternative Methods) e outros modelos de epiderme reconstruída estão sendo desenvolvidos em diferentes laboratórios de pesquisa no mundo, incluindo nosso laboratório na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Estes dois modelos são recomendados no Guia 431 que avalia in vitro a corrosão da pele. Embora o guia mencione que os experimentos podem ser realizados com peles reconstruídas nos laboratórios onde estes testes serão realizados, o desenvolvimento de um equivalente de epiderme na forma de Kit contribuirá para uma avaliação padronizada. Nosso laboratório vem seguindo a tendência mundial quanto ao desenvolvimento de testes in vitro para avaliação do risco da exposição da pele a substâncias químicas.
Palavras-chave: epiderme, indústrias cosmética e farmacêutica, testes em animais

Última atualização em 2014-03-31 13:16:00

Projetos de Pesquisa relacionados